0

Márcio Miranda (DEM) cresceu, Helder Barbalho (MDB) manteve tendência de queda e um ponto percentual pode ser a diferença entre os dois candidatos ao governo do Pará, segundo pesquisa do Instituto Doxa – a segunda neste segundo turno eleitoral – divulgada neste domingo, 21, a uma semana das eleições.

A pesquisa Doxa mostra Helder Barbalho com 45,9 por cento, contra 40,4 por cento de Márcio Miranda. Como a margem de erro é de 2,25 por cento, para mais ou para menos, Helder Barbalho pode estar com 43,65 por cento e Márcio Miranda com 42,65 por cento – diferença de um ponto percentual no limite da margem de erro.

Na pesquisa anterior da Doxa, Helder Barbalho pontuou 46,8 por cento, enquanto Márcio Miranda registrou 39,4 por cento. Portanto, Helder despencou 0,9 por cento e Márcio Miranda cresceu 1 ponto percentual na pesquisa divulgada hoje.
Para o governo do Pará, a Doxa registrou 9,0% de votos brancos e nulos e 4,7% de eleitores que não sabem em quem votar ou não responderam.]

HELDER LIDERA REJEIÇÃO

Quanto ao quesito “Rejeição”, a liderança é de Helder Barbalho: 40,7% dos eleitores afirmam que não votaram no candidato do MDB “de jeito nenhum”, contra 35,6% que revelaram não votar em Márcio Miranda.

A pesquisa foi realizada entre os dias 17 e 20 de outubro com 1.896 eleitores entrevistados nas seis mesorregiões do Estado do Pará e registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TER) sob o número 09042/2018.

BOLSONARO NA FRENTE

A Doxa também pesquisou a intenção de votos dos paraenses na disputa pela Presidência da República, mostrando 45,7% para o candidato Jair Bolsonaro (PSL), contra 36,3 para Fernando Haddad (PT), com 12,1% de votos brancos e nulos e 5,9% de eleitores que não sabem ou não responderam.

A pesquisa foi encomendada pela Gravasom/A Provincia do Pará.

Ronaldo Brasiliense
Ronaldo Brasiliense é o repórter mais premiado da Amazônia nos últimos trinta anos. Conquistou os maiores prêmios da imprensa brasileira em uma carreira marcada por reportagens denunciando a corrupção, a malversação do dinheiro público, em defesa da democracia, dos direitos humanos, da preservação do meio ambiente e da cultura dos povos da floresta. Atualmente, Ronaldo Brasiliense é presidente da Academia Artística e Literária de Óbidos (AALO) e da Associação Cultural Obidense (ACOB), que administra o Museu Integrado de Óbidos e promove anualmente o Festival do Jaraqui, além de executar obras com o apoio da sociedade civil obidense e do poder público municipal, como a atual revitalização do histórico Forte Pauxis, marco de fundação da cidade de Óbidos.

Aplicativo entrega políticos corruptos; testamos com os candidatos ao governo do PA

Anterior

Justiça determina que ‘fake news’ contra Márcio Miranda sejam retiradas do ar

Seguinte

Pode ser do seu interesse

Comentário

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *