0

Li um texto do Marcelo Bacana, colunista dos Barbalhos, sobre o horroroso puxadinho que está sendo executado às pressas da Casa das 11 Janelas. Ele faz comparações com obras no Bar do Parque e com a pirâmide do Museu Louvre, em Paris, França, como se as críticas ao puxado aprovado pela secretaria de Cultura Úrsula Vidal fossem choro de tucanos derrotados.

As perguntas que não querem calar sobre o monstrengo que atropela nosso patrimônio histórico:

  • Quem está pagando o puxadinho?
  • Tem dinheiro público envolvido?
  • Se tem, cadê a licitação?
  • Porquê a obra não tem placa?
  • Qual a empresa que está executando os serviços?
  • O IPHAN aprovou o puxadinho do Bar do Parque?
  • O que o Bar do Parque tem a ver com na Casa das 11 Janelas?
  • Porquê a secretária Úrsula Vidal não se pronuncia sobre o puxadinho?
  • Cadê posicionamento do Instituto dos Arquitetos do Brasil?
  • Todo mundo que acha um horror o puxadinho da Casa das 11 Janelas é tucano?
  • Como diria o detetive Sherlock Holmes: – A quem interessa o crime? Já fui no Louvre algumas vezes e não acho pirâmide de entrada no museu nada de excepcional! Confesso que fiz muitas fotos, mas não me interessei pela pirâmide.

  • Gosto não se discute.

    Acho o puxadinho que vem sendo feito na Casa das 11 Janelas uma excrescência…

    Ponto final.

Ronaldo Brasiliense
Ronaldo Brasiliense é o repórter mais premiado da Amazônia nos últimos trinta anos. Conquistou os maiores prêmios da imprensa brasileira em uma carreira marcada por reportagens denunciando a corrupção, a malversação do dinheiro público, em defesa da democracia, dos direitos humanos, da preservação do meio ambiente e da cultura dos povos da floresta. Atualmente, Ronaldo Brasiliense é presidente da Academia Artística e Literária de Óbidos (AALO) e da Associação Cultural Obidense (ACOB), que administra o Museu Integrado de Óbidos e promove anualmente o Festival do Jaraqui, além de executar obras com o apoio da sociedade civil obidense e do poder público municipal, como a atual revitalização do histórico Forte Pauxis, marco de fundação da cidade de Óbidos.

Governo edita MP para legalizar 300 mil posses rurais

Anterior

O final melancólico do governo Helder Barbalho

Seguinte

Pode ser do seu interesse

Comentário

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *