0

A população da comunidade do Patal, município de Augusto Corrêa, mantém desde ontem, dia 22, um bloqueio na BR -308, no trecho entre o município e Viseu, que se localiza na divisa do Pará com o Maranhão.

De acordo com os manifestantes, o ex-ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, foi à localidade no começo deste ano, anunciar o asfaltamento da BR e teria prometido que o trecho da localidade do Patal também receberia pavimentação.

Agora, como candidato ao governo do Pará, Helder teria se negado a ir ao local para ouvir as reivindicações. Até agora o local continua sem asfalto, com muita poeira e sem condições de tráfego para a comunidade local.

Os manifestantes prometem manter a interdição até que o governo federal vá negociar a inclusão da pavimentação do trecho do Patal com eles.

O superintendente da Polícia Rodoviária Federal, inspetor Cassiano Filho, confirma que o trecho da BR-308 está interditada desde a segunda-feira e afirma que na quinta-feira, 25, vai se deslocar para o local, a fim de se reunir com a comunidade do Patal, em Augusto Correa.

Segundo o inspetor, a preocupação é com o tráfego dos eleitores no domingo para votação do segundo turno. Por isso, a assessoria jurídica da PRF já prepara uma ação de reintegração de posse da área, requerendo a justiça federal, que conceda uma liminar para assegurar o livre trânsito dos eleitores na BR-308.

O inspetor afirma que a área do Patal é da União, foi ocupada pelos moradores, que reivindicam a inclusão no projeto de pavimentação, mas existem vários problemas no local, que precisam ser resolvidos, porque é um trecho muito baixo.

“A preocupação da PRF é com o fluxo de veículos, transporte das urnas, que começa a partir de sexta-feira e que os eleitores possam ter acesso às seções eleitorais sem problemas. Vamos conversar com os manifestantes e através do diálogo explicar que é preciso acabar com esse bloqueio”, explicou o inspetor.

Por Roma News
Ronaldo Brasiliense
Ronaldo Brasiliense é o repórter mais premiado da Amazônia nos últimos trinta anos. Conquistou os maiores prêmios da imprensa brasileira em uma carreira marcada por reportagens denunciando a corrupção, a malversação do dinheiro público, em defesa da democracia, dos direitos humanos, da preservação do meio ambiente e da cultura dos povos da floresta. Atualmente, Ronaldo Brasiliense é presidente da Academia Artística e Literária de Óbidos (AALO) e da Associação Cultural Obidense (ACOB), que administra o Museu Integrado de Óbidos e promove anualmente o Festival do Jaraqui, além de executar obras com o apoio da sociedade civil obidense e do poder público municipal, como a atual revitalização do histórico Forte Pauxis, marco de fundação da cidade de Óbidos.

Direto da Fonte: 24 de Outubro

Anterior

Helder Barbalho garante o bom salário público da mulher

Seguinte

Pode ser do seu interesse

Comentário

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *