0

O inquérito da Polícia Federal que apura corrupção na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte continua avançando.

Vários empreiteiros que atuaram nas obras da usina do Xingu denunciaram, em delação premiada, o pagamento de R$ 150 milhões de propinas a políticos do PT e do MDB.

Os intermediários no recebimento do dinheiro pago aos políticos pelas construtoras Andrade Gutierrez, segundo denunciou o executivo Flávio Barra, foram um filho do senador Edison Lobão, do Maranhão, e o ex-senador Luiz Otávio Campos, indicado para ser o “homem da mala” por Jader Barbalho e seu filho Helder Barbalho.

Vem denuncia por aí…

Ronaldo Brasiliense
Ronaldo Brasiliense é o repórter mais premiado da Amazônia nos últimos trinta anos. Conquistou os maiores prêmios da imprensa brasileira em uma carreira marcada por reportagens denunciando a corrupção, a malversação do dinheiro público, em defesa da democracia, dos direitos humanos, da preservação do meio ambiente e da cultura dos povos da floresta. Atualmente, Ronaldo Brasiliense é presidente da Academia Artística e Literária de Óbidos (AALO) e da Associação Cultural Obidense (ACOB), que administra o Museu Integrado de Óbidos e promove anualmente o Festival do Jaraqui, além de executar obras com o apoio da sociedade civil obidense e do poder público municipal, como a atual revitalização do histórico Forte Pauxis, marco de fundação da cidade de Óbidos.

Jader no centro da propina de Belo Monte

Anterior

Jader e Helder inviabilizam obras de infraestrutura no Pará

Seguinte

Pode ser do seu interesse

Comentário

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais de Lava Jato