0

A Coligação “Em Defesa do Pará” encaminhou e protocolou na última quinta-feira, 25, na Justiça Eleitoral, na Polícia Civil e na Polícia Federal, denúncias de práticas criminosas que estão sendo realizadas por apoiadores da coligação ligadas a Helder Barbalho, do MDB.

O material impresso irregular foi produzido com o objetivo de difamar o candidato do DEM, Márcio Miranda. Cartazes foram espalhados pela cidade, sujando paredes, estabelecimentos comerciais e prédios públicos.

A coligação “Em Defesa do Pará” já está buscando as imagens das pessoas envolvidas e dos veículos utilizados para a ação realizada na quinta-feira.

O material será anexado na denúncia e encaminhado à Justiça Eleitoral. As informações irão ajudar na investigação da Polícia Federal. Trata-se de crime contra a democracia e a tranquilidade nas eleições.

O material impresso está sem registro do CNPJ da campanha, o que é ilegal, além disso, o recurso para a confecção pode ter origem de caixa dois, uma vez que o material não pode ter sido registrado oficialmente.

Também foi encaminhado para a Polícia Civil, através da Delegacia de Crimes Virtuais, montagens que simulam uma “conversa” que nunca existiu, tentando difamar Márcio Miranda.

Os números de celular que foram utilizados para espalhar o material já foram identificados e serão encaminhados para a Polícia Civil e para a Polícia Federal. Os responsáveis pela produção e pela disseminação poderão responder por difamação e produção de conteúdo calunioso, crimes previstos no Código Penal Brasileiro.

A Coligação “Em defesa do Pará” disse que “lamenta que o desespero tenha tomado conta da campanha opositora, que parece estar incentivando esse tipo de prática por parte de seus apoiadores”. Eles informaram ainda que as medidas judiciais cabíveis estão em pleno andamento.

O segundo turno das eleições de 2018 acontecerá no próximo domingo, 28 de outubro. Márcio Miranda e Helder Barbalho estão disputando o Governo do Estado do Pará.

Por Roma News

Foto de Márcio Miranda com Gordo do Aurá é fake

Anterior

Helder Barbalho é condenado a retirar cartazes sob multa de R$ 500 mil

Seguinte

Pode ser do seu interesse

Comentário

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *