0

O jornalista paraense Ronaldo Brasiliense, residente em Óbidos, no oeste do Pará, consolidou-se como o segundo jornalista mais premiado da Amazônia, em todos os tempos, com 245 pontos, segundo Ranking elaborado pelo Portal dos Jornalistas Brasileiros e pelo Site Jornalistas&Cia, de São Paulo, divulgado ontem.

Com uma carreira vitoriosa em veículos de comunicação como Veja, ISTOÉ, O Globo, Jornal do Brasil, O Estado de São Paulo, Correio Braziliense e O Liberal, de Belém do Pará – onde trabalha atualmente como colunista -, Ronaldo Brasiliense é detentor de dois Prêmios Esso, dois prêmios da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), um Prêmio Embratel e um Prêmio Petrobras, entre outros, em 42 anos de profissão, trabalhando em Belém, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

No Ranking Nacional do Portal dos Jornalistas Brasileiiros, Ronaldo Brasiliense aparece na 117ª posição, à frente de monstros sagrados do jornalismo nacional como Ricardo Noblat, Mino Carta e Jânio de Freitas.

O ranking na Região Norte é liderado pelo veterano jornalista Lúcio Flávio Pinto, criador e diretor do Jornal Pessoal e uma das vozes (e textos) mais combativos na luta contra os ataques à Amazônia Brasileira.

Vítima de Mal de Parkinson, Lúcio Flávio comunicou sua aposentadoria em 2.019. E o fez com um saldo mais que positivo em sua carreira, tanto pelas diversas reportagens premiadas, quanto por manter-se na liderança entre os +Premiados Jornalistas da História na Região Norte. Com 365 pontos, o jornalista Lucio Flávio – vencedor, entre outros, de dois Prêmio Esso, um Vladimir Herzog e um CPJ – manteve a posição obtida desde a primeira edição deste ranking, em 2011. Já o terceiro lugar teve novidades em relação ao ano passado. Primeiro colocado entre os +Premiados Jornalistas de 2019 na Região Norte, Celso Freire, da rádio Liberal, assumiu a terceira posição, com 205 pontos.

Logo atrás aparecem os jornalistas Orlando Pedrosa Lima Júnior, na quarta posição, com 177,5 pontos, e, empatados em quinto lugar, com 150 pontos, estão Manoel Dutra e Ulisses Campbell. Em sétimo lugar ficou Ismael Soares Machado, com 130 pontos, seguido por Luiz Maklouf Carvalho (125), Mario Adolfo Aryce de Castro (120) e Alberto Cesar de Souza Araújo e Sergio Ricardo Oliveira, dividindo a décima posição, com 110 pontos.

RANKING NA REGIÃO NORTE

1º. Lúcio Flávio Pinto – 365 pontos
2º. Ronaldo Brasiliense – 245 pontos
3º. Celso Freire – 205 pontos
4º. Orlando Lima Jr.- 177,5 pontos
5º. Manuel Dutra – 150 pontos
5º. Ulysses Campbell – 150 pontos
7º. Ismael Machado – 130 pontos
8º. Luiz Maclouf – 125 pontos
9º. Mario Adolfo – 120 pontos
10º. Alberto Araújo – 110 pontos
10º. Sergio Oliveira – 110 pontos

Veja o ranking completo aqui.

Ronaldo Brasiliense
Ronaldo Brasiliense é o repórter mais premiado da Amazônia nos últimos trinta anos. Conquistou os maiores prêmios da imprensa brasileira em uma carreira marcada por reportagens denunciando a corrupção, a malversação do dinheiro público, em defesa da democracia, dos direitos humanos, da preservação do meio ambiente e da cultura dos povos da floresta. Atualmente, Ronaldo Brasiliense é presidente da Academia Artística e Literária de Óbidos (AALO) e da Associação Cultural Obidense (ACOB), que administra o Museu Integrado de Óbidos e promove anualmente o Festival do Jaraqui, além de executar obras com o apoio da sociedade civil obidense e do poder público municipal, como a atual revitalização do histórico Forte Pauxis, marco de fundação da cidade de Óbidos.

Belém, Cidade Eterna

Anterior

Roubos a banco: Quadrilhas de volta ao trabalho em 2020

Seguinte

Pode ser do seu interesse

Comentário

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais de Notícias